Reiki


 Medicina Tradicional - Chinesa - Introdução
A medicina tradicional chinesa (MTC), também conhecida como medicina chinesa (em chinês, zhōngyī xué ou zhōngyaò xué), é a denominação usualmente dada ao conjunto de práticas de medicina tradicional em uso na China, desenvolvidas no curso de sua história. A MCT é utilizada principalmente como medicina complementar.

A MCT tem por princípio básico a teoria da energia vital do corpo (chi ou qi ou ki) que circula pelo corpo através de canais, chamados de meridianos, os quais teriam ramificações que os conectariam aos órgãos. Os conceitos de "corpo" e "doença" utilizados pela Medicina Tradicional Chinesa se baseiam em noções de uma cultura pré-científica.

A MTC foi desenvolvida empiricamente a partir da experiência clínica, e documentada em muitos textos, hoje clássicos. Se fundamenta numa estrutura teórica sistemática e abrangente, de natureza filosófica. Ela inclui entre seus princípios o estudo da relação de yin/yang, da teoria dos cinco elementos e do sistema de circulação da energia pelos meridianos do corpo humano.

Tendo como base o reconhecimento das leis fundamentais que governam o funcionamento do organismo humano e sua interação com o ambiente segundo os ciclos da natureza, procura aplicar esta compreensão tanto ao tratamento das doenças quanto à manutenção da saúde através de diversos métodos.

O diagnóstico na MTC

Os aspectos básicos a considerar em um diagnóstico pela MTC são:
- observar (wàng),
- ouvir e cheirar (wén),
- perguntar sobre o histórico do paciente (wèn),
- palpar o pulso, tórax e abdome, várias partes do corpo, os canais e os pontos (qiè).

A partir das informações reunidas desta forma pelo terapeuta, é elaborado um diagnóstico usando como referência um sistema para classificar os sintomas apresentados.

Para trabalhar com os sistemas de diagnósticos da MTC é preciso desenvolver a habilidade de observar aparências sutis, observar o que está bem a nossa frente, mas escapa da observação da maioria das pessoas.

Este sistema se fundamenta no conhecimento dos seguintes princípios teóricos:
- A relação de Yin/Yang
- A Teoria dos Cinco Elementos
- Os oito princípios do Ba Gua
- A teoria dos órgãos Zang Fu
- Os Meridianos de energia
- Os Seis níveis
- Os Quatro estágios
- O Triplo aquecedor
MTC

Yin/Yang
O princípio de Yin e do Yang - os elementos masculino e feminino da Natureza - é o princípio básico de todo o Universo. Quanto a descrição e classificação anatômica a cultura chinesa possui ampla nomenclatura que descreve as diversas partes, pontos, regiões, órgãos e sistemas do corpo onde os princípios do Yin - Yang são aplicados, diferenciando tanto as formas como funções. A partir da desarmonia e/ou interrupção do fluxo dessa energia (Yin/Yang) é que se pode estabelecer os desequilíbrios endógenos e/ou a vulnerabilidade aos agentes agressores externos.

Cinco Elementos
A madeira, o fogo, a terra, o metal e a água, são os elementos básicos que formam o mundo material. Existindo uma interação e controle recíproco entre eles que determina seu estado de constante movimento e mudança. Nessa teoria que estabelece um conjunto de matrizes, todas as coisas podem ser classificadas de acordo (em analogia) a estes elementos ou relações entre eles.

Ba gua
Ba Gua (pinyin) ou Pa Kua é a representação de um conceito filosófico fundamental da antiga China, sua tradução literal significa oito trigramas ou oito mutações. Pode ser representado como um diagrama octogonal com um trigrama situado em cada lado. Trigramas são as oito combinações possíveis das energias Yin Yang em três linhas (as tracejadas significam Yin e as contínuas representam o Yang). O Ba Gua é a união desses trigramas e serve para delimitar onde cada energia se localiza em pessoas e ambientes.

Teoria dos órgãos Zang Fu
A teoria dos órgãos Zang Fu se refere a como as relações entre os diversos sistemas orgânicos são compreendidas dentro do referencial da Medicina Tradicional Chinesa. O termo chinês também poderia ser traduzido como Teoria dos órgãos (Zang) e vísceras (Fu). É fundamental considerar que as referências a órgãos não se limitam apenas a seu aspecto físico/material, mas também a seu aspecto energético/metabólico. O equilíbrio e os intercâmbios entre estes sistemas são explicitados pela Teoria dos Cinco Elementos.

Meridianos
Meridiano é um dos nomes pelos quais são conhecidos os "canais de energia" (Jīng Luò), utilizados na acupuntura e outros métodos terapêuticos da medicina tradicional chinesa. Existem vários tipos de energias, o Qi, que percorrem o corpo. A energia que recebemos de nossos ancestrais, a energia que adquirimos pelo ar e alimentos, que circula internamente, e a energia protetora, que circula mais externamente. Os meridianos são os canais por onde o Qi (também grafado Chi ou Ki) percorrem o corpo. Através de estímulos em determinados pontos do meridiano, pode-se reequilibrar as energias do corpo e de órgãos.

Os Seis níveis
Fluxo do Qi dos canais energéticos: Tai Yang (Grande Yang); Yang Ming (Yang Brilhante); Shao Yang (Yang Menor); Tai Yin (Yin Maior); Shao Yin (Yin Menor); Jue Yin (Yin Terminal).

Triplo aquecedor
É um conceito da MTC associado a um órgão funcional não descrito como tal fora de MTC. "San Jiao" costuma ser traduzido como triplo aquecedor ou triplo queimador, por sua associação com os processos relacionados ao metabolismo. O Triplo Aquecedor é descrito como uma estrutura primeiramente energética. O Triplo Aquecedor ocuparia três compartimentos no tronco do corpo humano: O compartimento superior, situado acima do diafragma - associado com a respiração. O compartimento médio, que vai do diafragma ao umbigo - associado com a digestão. O compartimento inferior, situado abaixo do umbigo - associado com a eliminação. Na MTC o Triplo Aquecedor é associado ao metabolismo do corpo em geral, próximo também às funções mais específicas atribuídas ao Baço (transformação e transporte do alimento) e aos Rins na teoria dos órgãos Zang Fu.
Fonte: pt.wikipedia.org